Portugal é mundialmente famoso por seus vinhos de qualidade. Por isso, passar um dia dedicado ao enoturismo, conhecendo todas as etapas de produção da bebida —da plantação das uvas ao “envelhecimento” nos barris— é uma experiência muito especial.

A região do Alentejo, no centro-sul do país, é um dos principais pólos produtores de vinho. Graças às estradas bem cuidadas e sinalizadas de Portugal, é possível fazer um bate-volta a partir de Lisboa com facilidade.

Embora alugar um carro em Portugal seja fácil e relativamente barato, esse é o tipo de passeio que é interessante fazer com uma empresa. Além de mais confortável, o viajante também não precisa se preocupar com a questão de beber e dirigir.

Fiz um tour de praticamente um dia inteiro com a One Day Wine Experience, especializada no atendimento do público brasileiro.

Fui conhecer de perto a Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, é uma referência na produção de vinhos em Portugal. É de lá que saem vários dos principais vinhos lusos.

Vista aérea da Herdade do Esporão | Foto: Divulgação
Vista aérea da Herdade do Esporão | Foto: Divulgação

São centenas de hectares de vinhas e mais vinhas no coração do Alentejo. Uma vista impressionante.

Devido à extensão da rota, o tour pelas vinhas é feito em uma van. A guia pára em pontos estratégicos para explicar todos os aspectos da plantação.

Foi interessante saber que, a partir deste ano, a produção das uvas da herdade é totalmente orgânica, e que eles usam várias estratégias para o controle natural de pragas.

Essas casinhas brancas estão espalhadas no alto de postes pela propriedade e são destinadas aos morcegos, que são predadores de insetos que danificam a plantação | Foto: Giuliana Miranda
Essas casinhas brancas estão espalhadas no alto de postes pela propriedade e são destinadas aos morcegos, que são predadores de insetos que danificam a plantação | Foto: Giuliana Miranda

Uma das minhas favoritas são as casinhas brancas para abrigar morcegos, que são predadores naturais de vários dos insetos que atacam as plantações.

A visita tem ainda cantinhos superfotogênicos…

Não faltam cantinhos fotogênicos na visita | Foto: Giuliana Miranda
Não faltam cantinhos fotogênicos na visita | Foto: Giuliana Miranda
Uma capelinha bucólica adorna a paisagem | Foto: Giuliana Miranda
Uma capelinha bucólica adorna a paisagem | Foto: Giuliana Miranda

Outro ponto alto do tour é a visita ao chamado Campo Ampelográfico, onde são cultivadas quase duzentos tipos de uvas, de vários lugares do mundo. A ideia é ver como elas se comportam no solo da região e se adaptam às mudanças climáticas.

Existe uma variedade de uva chamada "amor-não-me-deixes" | Foto: Giuliana Miranda
Existe uma variedade de uva chamada “amor-não-me-deixes” | Foto: Giuliana Miranda

Além de vinhos, o Esporão também produz azeites. A visita inclui ainda um passeio pelos vários tipos de oliveiras, com destaque para uma árvore de 1.600 anos.

A oliveira milenar do Esporão | Foto: Giuliana Miranda
A oliveira milenar do Esporão | Foto: Giuliana Miranda

Torre

Na icônica Torre do Esporão, que ilustra o logo da empresa, há um interessante museu arqueológico. Um prato cheio para amantes de ciência e de história.

Essencialmente, a região onde hoje fica a fazenda era visitada por povos caçadores e coletores entre 3.000 a-C – 2.500 a.C.

Visitas ao museu são sempre acompanhadas de guias que explicam a história da ocupação do Alentejo | Foto: Giuliana Miranda
Visitas ao museu são sempre acompanhadas de guias que explicam a história da ocupação do Alentejo | Foto: Giuliana Miranda

Todos os anos há escavações arqueológicas para resgatar parte deste passado, e várias peças importantes estão expostas no museu.

De volta à sede da herdade, é hora de conhecer a área de processamento das uvas.

Nossa guia também nos deu detalhes do processo de estágio da bebida nos barris, em que não só a variedade da madeira, mas também o jeito com que ela foi trabalhada no fogo (a chama tosta), também influencia no sabor.

Há uma "aula" in loco sobre as diferentes tostas dos barris que recebem o vinho | Foto: Giuliana Miranda
Há uma “aula” in loco sobre as diferentes tostas dos barris que recebem o vinho | Foto: Giuliana Miranda

A última parada do tour é a sala de provas e petiscos. São três tipos de vinho, um branco e dois tintos, além de três variedades de azeite. Estão incluídos pães e queijinhos para acompanhar.

Petiscos que acompanham a prova de vinhos | Foto: Giuliana Miranda
Petiscos que acompanham a prova de vinhos | Foto: Giuliana Miranda

Na saída, há uma lojinha em que se pode comprar os vinhos e os azeites produzidos pela marca. Honestamente, achei os preços iguais aos do supermercado: ou seja, não vale o esforço de carregar garrafas por mais de cem quilômetros na volta para a Lisboa.

Clima

O Alentejo é uma das áreas mais quentes de Portugal. Quem faz o passeio nos meses de verão deve ter isso em mente: passear pelas vinhas em pleno sol escaldante pode ser bem cansativo, especialmente para pessoas mais velhas.

A vantagem é que, justamente neste período, as vinhas estão carregadas de uvas quase maduras, o que deixa a paisagem ainda mais bonita.

Em agosto, as vinhas estão carregadinhas de uvas prontas para a colheita | Foto: Giuliana Miranda
Em agosto, as vinhas estão carregadinhas de uvas prontas para a colheita | Foto: Giuliana Miranda

Serviço do Enorturismo

One Day Wine Experience
Preço: varia de acordo com a quantidade de pessoas; a partir de 200€ (duas pessoas)

Mais informações para a sua viagem

Deixe uma resposta